Por que escolher um cirurgião plástico para o tratamento do Câncer de Pele?

August 14, 2018

 

O câncer de pele é o câncer mais comum do Brasil… Você sabia? Mas, se detectado precocemente, também é um dos mais fáceis de tratar!! 

 

Se houver algo estranho em seu corpo ou você estiver preocupado com o aparecimento de qualquer defeito ou lesão na sua pele, o primeiro passo é entrar em contato com um médico. 

Quando falamos em câncer de pele, o primeiro especialista a ser lembrado é o médico dermatologista ou o médico oncologista, mas você sabia que um cirurgião plástico certificado é qualificado para diagnosticar e remover tumores cancerígenos, além de fornecer os procedimentos reconstrutivos necessários?

 

Embora os cânceres de pele possam ser encontrados em qualquer parte do corpo, cerca de 80% aparecem no rosto, cabeça ou pescoço, onde podem ser desfigurantes e perigosos. Por isso a relevância da atuação do cirurgião plástico na remoção do câncer de pele, seja de maneira isolada, ou em conjunto com o dermatologista ou outros médicos especialistas (dependendo do caso); a presença de um cirurgião plástico garantirá um cuidado especial com a estética do paciente para que a autoestima após a cirurgia não seja afetada.

 

Enquanto o fator mais importante do tratamento é garantir que todo o câncer tenha desaparecido, a maioria dos pacientes também está preocupada com a aparência da área após a cirurgia. Ao contrário de outros médicos, nós cirurgiões plásticos somos especificamente treinados para abordar a cirurgia com um olho tanto para a cura do câncer quanto para a aparência final da região operada; Durante a cirurgia de remoção de câncer de pele, o foco será proteger o máximo de tecido saudável possível, minimizar cicatrizes e preparar adequadamente a área para qualquer cirurgia reconstrutiva que possa ser necessária. 

Quem fica com câncer de pele? E por que?

 

A principal causa do câncer de pele é a radiação ultravioleta - mais frequentemente do sol, mas também de fontes artificiais, como lâmpadas solares e cabines de bronzeamento. 

 

Qualquer pessoa pode ter câncer de pele - não importa qual seja o seu tipo de pele, raça ou idade, não importa onde você mora ou o que você faz…

 

>> Mas o seu risco é maior se ...

 

  • Sua pele é fina e sardenta.

  • Você tem cabelos e olhos claros.

  • Você tem uma história familiar de câncer de pele ou uma história pessoal de queimaduras solares.

  • Você gasta muito tempo trabalhando ou jogando ao ar livre.

  • Você mora mais perto do equador, em uma altitude mais alta ou em qualquer lugar que tenha um sol intenso durante todo o ano.

  • Você recebeu tratamentos de radiação terapêutica para acne quando adolescente.

 

Os cânceres são separados conforme as estruturas do corpo que eles acometem:

 

>>Carcinoma basocelular

O carcinoma basocelular é o tipo de câncer de pele mais comum, constituindo 70% dos casos - mas, felizmente, é o tipo menos agressivo. Ele leva esse nome por ser um tumor constituído de células basais, comuns da pele. Essas células começam a se multiplicar de forma desordenada, dando origem ao tumor. O carcinoma basocelular apresenta crescimento muito lento, que dificilmente invade outros tecidos e causa metástase. Esse câncer é encontrado frequentemente nas partes do corpo que ficam mais expostas ao sol, como rosto e pescoço. O nariz é a localização mais frequente (70% dos casos), mas também pode ocorrer na orelha, canto interno do olho e outras partes da face. Quando o tumor é retirado precocemente, as chances de cura são altas.

 

>>Carcinoma espinocelular

O carcinoma espinocelular é o segundo tipo mais comum de câncer de pele, sendo responsável por cerca de 20% dos tumores cutâneos não melanoma. Frequentemente, o carcinoma espinocelular cresce nas áreas mais expostas ao sol, como couro cabeludo e orelha, sendo mais predominante em pacientes a partir da sexta ou sétima década de vida. O carcinoma espinocelular se forma a partir das células epiteliais (ou células escamosas) e do tegumento (todas as camadas da pele e mucosa), ocorrendo em todas as etnias e com maior frequência no sexo masculino. Sua evolução é mais agressiva e pode atingir outros órgãos, caso não seja retirado com rapidez. Ele apresenta maior capacidade de metástase do que o carcinoma basocelular.

 

>>Melanoma

O melanoma é tumor maligno originário dos melanócitos (células que produzem pigmento) e ocorre em partes como pele, olhos, orelhas, trato gastrointestinal, membranas mucosas e genitais. Um dos tumores mais perigosos, o melanoma tem a capacidade de invadir qualquer órgão, criando metástases, inclusive cérebro e coração. Portanto, é um câncer com grande letalidade. O melanoma cutâneo tem incidência bem inferior aos outros tipos de câncer de pele, mas sua incidência está aumentando no mundo inteiro. Há diversos tipos clínicos de melanoma, como o melanoma nodular, melanoma lentiginoso acral, melanoma maligno disseminado e melanoma maligno lentigo.

 

O câncer de pele não melanoma pode se tornar um melanoma?

Não. Os cânceres são divididos em tipos justamente porque surgem de estruturas diferentes do corpo. O carcinoma espinocelular tem origem nas células epiteliais, o carcinoma basocelular tem origem nas células basais e o melanoma dos melanócitos (células que formam o pigmento).

 

>>Outros tipos:

 

Há ainda outros tipos de câncer de pele mais raros que atingem outras células, como:

  • Tumor de células de Merkel

  • Sarcoma de Kaposi

  • Linfoma de cutâneo de células T (câncer do sistema linfático que pode atacar a pele)

  • Carcinoma sebáceo (surge nas glândulas sebáceas)

  • Carcinoma anexial microcístico (tumor das glândulas sudoríparas).

Prevenção

 

Cuidado com a exposição solar! É extremamente importante evitar a exposição solar sem proteção adequada para prevenir o câncer de pele. Para isso, é legal adotar uma série de hábitos:

 

Usar filtro solar FPS no mínimo 30, diariamente. Reaplique-o pelo menos mais duas vezes no dia e espere pelo menos 30 minutos após a aplicação para se expor ao sol;

 

Procure evitar os momentos de maior insolação do dia (entre 10h e 16h) e fique na sombra o máximo que você puder. O sol emite vários tipos de radiação, sendo os tipos UVA e UVB os mais conhecidos. Os raios UVB são os mais prejudiciais, responsáveis por aquela pele avermelhada, que fica ardendo, e sua concentração é maior nos horários centrais do dia, quando o sol está mais forte. Já os raios UVA são aqueles que deixam a pele bronzeada e oferecem menos risco;

 

Além do protetor solar, use protetores físicos, como chapéus e camisetas;


 

Conheça sua pele

 

Examinar sua pele periodicamente é uma maneira simples e fácil de detectar precocemente o câncer de pele. Com a ajuda de um espelho, o paciente pode enxergar áreas que raramente consegue visualizar. É importante observar se há manchas que coçam, descamam ou sangram e que não conseguem cicatrizar, além de perceber se há pintas que mudaram de tamanho, forma ou cor. O diagnóstico precoce é muito importante, já que a maioria dos casos detectados no início apresenta bons índices de cura.

O seguro cobre a cirurgia plástica para remoção do câncer de pele?

 

Como grande parte da cirurgia plástica é considerada de natureza estética e, portanto, não coberta pelo seguro, muitos assumem incorretamente que o trabalho com um cirurgião plástico para remoção e reconstrução do câncer de pele vai custar caro. Isso não é verdade; De um modo geral, esses procedimentos são considerados clinicamente necessários e são cobertos pela maioria dos de seguros de saúde - esteja você trabalhando com um cirurgião plástico, um dermatologista ou outro cirurgião qualificado.


 

Fique atento! E qualquer anormalidade consulte o seu médico. :)

 

 

 

 

Please reload

Please reload

CATEGORIAS
Mande sugestões dos assuntos que
você gostaria de ver aqui no blog!